Por que a Caixa Preta do voo de Eduardo Campos não funcionou?

0
259

Parecer técnico apresenta as possíveis razões para o não funcionamento da caixa preta no voo que vitimou o presidenciável Eduardo Campos. 

caixa preta

1) Sobre a falta da gravação dos sons anteriores ao impacto da aeronave onde viajava Eduardo Campos eu, na qualidade de Piloto e Técnico de Manutenção de Aeronaves, venho informar que a DFDR – Digital Flight Data Recorder – que grava dados de vôo – e a CVR – Cockpit Voice Recorder – que grava sons da cabine e a comunicação entre os tripulantes, só são itens obrigatórios a partir de determinados tipos de Aeronave.

2) O fato de estarem instaladas em avião onde não são obrigatórias, por exemplo, daria direito ao Operador da aeronave de removê-las definitivamente ou mante-las inoperantes, registrando essa ação nos documentos da aeronave e cumprindo o previsto nos Manuais de Manutenção e na Legislação e normas da ANAC aplicáveis ao assunto, finalmente afixando um placar com os dizeres INOP próximo ao painel da mesma.

3) Em todo o caso, se estava instalada, restam as seguintes hipóteses para a ausência da informação:

3.1) Foram desativadas por Empresa ou Técnico de Manutenção, a pedido do Operador/Proprietário conforme descrito no item 2 acima;
P.S: A CVR tinha sons, mas não eram do voo em questão:

3.2) Foram desativadas sem cumprir o previsto no item 2, pelo Proprietário/Operador ou pelos Pilotos. Isso pode ser feito antes do voo ou antes do pouso, ou caso não queiram que a informação fique registrada. Isso não pode ser feito a distância e tem que ser feito através de um disjuntor (um tipo de fusível) específico chamado CB – Circuit Breaker também na cabine que remove a força elétrica das unidades. Nesse caso algumas caixas mais modernas também registram essa ação geralmente com um código (Power Interrupt) e a hora em que isso ocorreu. Algumas podem ter baterias próprias mas de pouca duração;

3.3) Tiveram apagamento dos dados a partir de um botão “Erase” também para não revelar certas ocorrências, mas isso só apaga dados já gravados, ou seja, com a caixa ligada e fica registrado que esse botão foi usado.

3.4) Uma falha ou defeito da CVR, antes do vôo e o voo poderia ser feito desde que isso fosse registrado no Diário de Bordo e caso fosse permitido pelo Manual da Aeronave chamado de MEL, necessitaria de uma liberação da Manutenção, mas haveria o registro burocrático;

3.5) A possibilidade de uma falha antes ou durante a tentativa de pouso mas isso também poderia eventualmente ficar registrado caso estivesse instalada a outra caixa chamada DFDR.

4) O fato mais grave a meu ver não é a falta dos dados em si, mas sim a falta de cuidado no tratamento dessa informação, sem o necessário e completo esclarecimento, o que demonstra que essa investigação poderá sofrer sérios prejuízos diante de uma Mídia irresponsável que informa mal a um público que não tem obrigação de conhecer detalhes técnicos tão complexos.

5) Está claro como água que a intenção velada é criar um ambiente propício as mais absurdas teorias de conspiração para atingir o alvo de sempre.

Enildo Bernardes – Piloto e Técnico de Manutenção de Aeronaves.

Comentários

Comentários