A decadência moral e artística de Lobão é uma aula sobre gestão de carreira

0
385

Lobão chega aos 60 anos agonizando em praça pública sua falência artística e moral. Sua cênica militância é uma aula sobre o que não fazer na gestão de uma carreira.

lobão morre

Desde 1999 sem lançar um álbum relevante Lobão completa 15 anos de fracassos musicais. Quem votou aos 16 anos em 2014 não o conhece como artista, apenas como o cara que tem como esporte falar mal dos artistas que obtiveram o sucesso que ele não consolidou.

Observe como a inveja entorpeceu seu olhar sobre os demais artistas:

“Chico Buarque é uma merda”
“Roberto Carlos é uma múmia deprimida”
“Mano Brown é um idiota”
“A música de Gonzaguinha é insuportável”
“Ivete Sangalo é superlativamente ruim”

Isso tudo sem falar em seu alvo preferido: Caetano Veloso. Sempre que precisa sair do ostracismo Lobão ensaia alguma agressão verbal ao baiano, que por preguiça ou coerência ignora os insultos solenemente, o que causa ainda mais fúria no velho Lobo.

Para quem tem menos de 25 anos vale lembrar que Lobão nem sempre foi o idiota que se revelou nas duas últimas décadas. Entre 1982 e 1989 compôs a obra que o consagrou como expoente do rock nacional. Com especial destaque para os álbuns Vida Bandida (1987) e Sob o Sol de Parador (1989) conseguiu emplacar hits radiofônicos e trilhas de novela que registraram seu nome na história da música brasileira.

No entanto sua história musical é encerrada antes do final da década de 80. Colecionando fracassos de 1990 a 2013. Seu último álbum de canções inéditas relevantes foi lançado em 1999. De lá para cá apenas fez regravações ao vivo e coletâneas. Vez por outra disponibiliza uma canção inexpressiva poeticamente e incompetente musicalmente para download.

No começo dos anos 2000 o alvo de seu ódio eram as gravadoras. Ódio nascido de suas constantes demissões por não alcançar metas de vendagens. Mobilizou artistas e produtores numa campanha pela numeração de CD´s e outras medidas, segundo ele, moralizantes. Não admitia que sua baixa vendagem era fruto de sua incapacidade artística. Alguém precisa ser culpado pelo seu fracasso.

O ódio pelas gravadoras durou até a MTV o convidar para gravar um CD/DVD no formato acústico. O convite foi o suficiente para ele guardar este ódio no bolso e buscar novos alvos para suas críticas ferinas. Como era se se esperar o acústico foi um fracasso. Vendeu 23 mil cópias. Os Titãs, seus contemporâneos de rock anos 80, venderam 1.700.000 cópias.

Na medida em que percebe sua incapacidade de criar novas canções Lobão muda a estratégia de promoção de seus produtos. Se lança na condição de entrevistado polêmico e com seu linguajar limitado passa a criar analogias fálicas para impactar entrevistadores e expectadores de seu discurso de ódio contra quem obteve o respeito que ele sonhou.

Numa ação desesperada surge tentando se colocar no lugar de porta-voz do anti-petismo em São Paulo. Ser anti-pt é até legítimo e compreensível. O que torna o gesto patético é defender a negação do resultado democrático das urnas e clamar pela volta dos militares ao poder. Tal gesto lembra o mesmo enredo de seu cênico ódio contra gravadoras. E deve durar até ser cooptado pelo sistema assim como a MTV fez, inclusive o convidando para ser VJ Sênior entre 2007 e 2010.

Com base neste histórico ficam algumas dicas sobre planejamento e gestão de carreiras para você não terminar a vida como um Lobão:

01. Não procure culpados para justificar seu fracasso. Procure suas fragilidades e busque qualificação para superá-las.

02. Não basta dar visibilidade a sua pessoa, é preciso dar visibilidade ao seu trabalho.

03. Você não será um profissional melhor desqualificando seus concorrentes. No máximo será admirado por outros incompetentes que usam desta escala de valor.

04. A internet é uma ótima fonte de informação e um excelente caminho para qualificação. No entanto seja seletivo com suas fontes. Lobão abriu mão da autonomia intelectual para ser um repetidor das ideias de Olavo de Carvalho. Um ser que auto intitula-se filósofo sem nunca ter cursado sequer uma graduação em Filosofia, e que seus livros não estão nas estantes de nenhuma universidade brasileira por absoluta ausência de rigor científico e fundamentação teórica.

05. Construa credibilidade no mercado. Seja visto como alguém que é possuidor de um capital imaterial intangível: A Palavra. Lobão é visto pelo público como alguém sem compromisso com a verdade em função de suas guinadas de opinião movidas por interesses pessoais. Mais recentemente disse que se a Dilma ganhasse a eleição iria embora do Brasil. Horas depois do resultado disse que ficaria pois precisa ser o líder da resistência.

Seguindo estas 5 dicas seu futuro profissional será mais exitoso e menos constrangedor que o do ex-artista que agoniza em praça pública por câmeras que não o permitam se sentir tão sozinho no fim da vida.

Comentários

Comentários