Quando o humorista quer ser irresponsável ele se torna um idiota útil

0
313

Gregório Duvivier faz uma excelente ponderação sobre a suposta liberdade dos padrões politicamente corretos do humor contemporâneo no Brasil. Humorista irresponsável ou idiota útil?

gregorio
O riso correto da esquerda

Mais um que não entendeu nada. Ninguém quer regular o humor – certamente não eu, nem ninguém do Porta dos Fundos. Somos vítimas constantes de processos que visam cercear nossa liberdade: agora mesmo Feliciano acaba de entrar com um novo processo contra a gente – e perder.

No entanto, despolitizar o humor e acreditar que uma piada “é só uma piada” é reduzir o humor a uma brincadeira – com o perdão do termo – leviana. O humor precisa da mesma liberdade que a imprensa mas também da mesma responsabilidade. Assim como uma notícia não é só uma notícia, uma piada não é só uma piada, como muitos dizem por aí. Tem muita coisa por trás de uma piada – e de uma notícia.

O fato do humorista não ter consciência de que coisas são essas que estão por trás do que ele está dizendo não faz com que essas coisas não existam. É má-fé acreditar que por trás de uma piada racista existe um “humor anárquico” ou “ingênuo”.

O autor diz que o humor do Trapalhões é “inclusivo” porque “não poupa ninguém” mas isso é mentira: sempre poupou a igreja católica (apesar de não poupar o umbanda), sempre poupou críticas políticas a quem estava no poder (numa época em que isso seria especialmente necessário). E olha que eu adorava Trapalhões – mas não dá pra não perceber, hoje, que as vítimas e os protegidos desse humor “ingênuo” não eram escolhidos aleatoriamente.

Não estou querendo politizar o humor. Seria muita pretensão. Só quero alertar que ele já nasceu político. A ingenuidade do humorista é um mito a ser combatido.

Gregório Duvivier é um ator, humorista, escritor, roteirista e poeta brasileiro.

Comentários

Comentários