O beijo de Adnet é notícia? Uma discussão estritamente jornalística sobre o ‘escândalo’

0
269

Um humorista casado é flagrado por um paparazzi beijando uma mulher. A notícia vira capa de portais, jornais e matérias de revista. Fica a questão para análise: Isso é jornalismo?

adnet beija

 


O FATO JORNALÍSTICO SEGUNDO O SITE EGO

Marcelo Adnet, que está casado com Dani Calabresa desde 2010, foi flagrado beijando uma loira em uma das avenidas mais movimentadas do bairro do Leblon, a Ataulfo de Paiva, na madrugada de sexta-feira, 7.

De acordo com a agência de fotos que fez as imagens, o ator estava no bar Jobi, por volta das 2h da manhã, quando começou a conversar com uma loira que estava próxima. O papo regado a chope virou uma conversa mais íntima e longe do bar. A dupla foi para uma rua mais reservada do bairro, a Rainha Guilhermina, onde trocou beijos e abraços sem perceber que estava sendo fotografada. O ator ainda voltou para o bar onde encontrou os amigos, e só saiu de lá por volta das 4h da manhã.

 A ANÁLISE DO JORNALISTA PAULO NOGUEIRA

Passo pelo UOL e vejo que as duas matérias mais lidas são sobre o beijo do humorista Marcelo Adnet numa mulher que não a sua, Dani Calabresa.

Ontem, essa “notícia” estava em todos os sites, sempre entre as mais consumidas.

No Facebook, alguém publicou a nota que a Veja deu sobre o beijo. Ri ao ler um comentário: “É culpa da Dilma!”

Mas meu ponto é o seguinte: isto é mesmo notícia?

Não, não é.

É fofoca, e das sórdidas, e ajuda a entender por que o jornalismo e os jornalistas são tão detestados e desprezados.

Os que defendem que este tipo de lixo é notícia costumam dizer que celebridades são figuras públicas, e por isso não teriam direito a privacidade.

É um disparate.

Na Inglaterra, nos últimos anos, depois do caso do tabloide que invadiu a caixa postal de uma garota sequestrada e morta, se rediscutiu a fundo o jornalismo.

Os tabloides caçavam cruelmente celebridades e davam qualquer coisa que pudesse gerar vendas.

No debate jornalístico sobre o que é legítimo noticiar e o que não é, os ingleses chegaram a um consenso: mesmo quando se trata de celebridades, invasão de privacidade só se justifica quando há um claro interesse público em questão.

Imagine um jogador de futebol que ganhe dinheiro com campanha contra o consumo excessivo de bebida. Se ele é flagrado bêbado, isto é notícia.

No caso de Adnet, nada justifica a torrencial cobertura dada a seu beijo.

Não existe nenhum interesse público no assunto. É uma coisa que importa apenas às partes: Adnet e as duas mulheres envolvidas, a que recebeu o beijo e Dani Calabresa.

Os três são vítimas da mídia.

Dani Calabresa foi exposta a uma humilhação pública cruel. Adnet se viu no meio de um escândalo que remete, pelo teor patético, à peça Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues.

E a mulher que trocou o beijo se viu também numa exposição embaraçosa e traumatizante. No imaginário popular será a “destruidora de lares”, a “vagabunda”.

Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

A ANÁLISE DO ENFU
O que o fotógrafo que fez a foto e o editor do veículo não levaram em consideração é a modalidade de relacionamento de Marcelo Adnet e Dani Calabresa. Partiram dos preceitos morais cristãos para julgar e condenar os três envolvidos no episódio. A miopia para a diversidade os fez acreditar na lógica narcisista do “acho feio aquilo que não é espelho”. Se não me vejo refletido no fato é sinal de que ele é alvo de meu julgamento?

Seria bastante interessante que os que publicaram e que julgaram o trio realizassem leituras sobre, por exemplo, o Poliamor. Poliamor é a prática, o desejo, ou a aceitação de ter mais de um relacionamento íntimo simultaneamente com o conhecimento e consentimento de todos os envolvidos.

No entanto, a hipocrisia reinante em nossa cultura nos impõe a negação do desejo em nome da família, tradição e propriedade. Os desejos são vividos as escondidas ou no campo imaginário de forma até mais intensa que os que fazem a opção de ser honesto consigo e com o outro.

Confira a manifestação pública de Marcelo Adnet sobre o fato em seu perfil no Twitter.

adnet

Comentários

Comentários