Lave sua toalha antes que ela te transmita doenças incuráveis

0
339

Sua toalha de banho ao invés de te secar pode estar te dando um banho de micróbios. Conheça os riscos invisíveis que corre quem não lava a toalha  da maneira certa e com a com a frequência ideal.

Com qual frequência você troca sua toalha de banho? Ou melhor, existe uma frequência ideal para lavá-la? Bom, o primeiro passo é pensar o que compõe a “sujeira” da toalha. Ela é composta de pele morta e bactérias do nosso próprio corpo. Em alguns casos, se ficar perto de um vaso sanitário potente, que forma nuvens de micróbios na hora da descarga, pode ter algumas bactérias do intestino, diz o infectologista Gustavo Johanson, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

No caso das pessoas saudáveis, essas bactérias não são um problema. Se tudo vem do nosso próprio corpo, já estamos acostumados com esses micro-organismos e, até hoje, parecem não haver registros de mortes por usar sua própria toalha. “A grande maioria das bactérias da pele não são patogênicas e estamos adaptados”, diz Johanson. No entanto quem compartilha a toalha pode ser bombardeado pelos micro-organismos impregnados na tolha por quem usou.

Entra aí o bom senso para a limpeza da toalha. “Não existe na literatura médica uma recomendação para lavagem da toalha de pessoas saudáveis. Se o ambiente está quente e úmido, precisa lavar mais rápido do que num ambiente frio e seco, vai do bom senso”, diz Johanson.

A microbiologista Maria Teresa Destro, professora aposentada da Universidade de São Paulo (USP), avalia que o bom senso é uma vez por semana. O mais importante, ressaltam os dois, é o cuidado com a toalha no dia-a-dia e na hora da lavagem. “Colocar a toalha em local arejado e mantê-la seca evita a proliferação de bactérias e fungos”, diz Maria Teresa. Nunca. Mas nunca mesmo, deixe sua toalha secando no banheiro. A menos que deseje ser “defumado” pelo odor e micróbios das fezes.

Como cada um tem sua microbiota, o ideal é não ficar trocando de toalha durante o uso. “E para crianças até 3 anos, que são mais sensíveis, é importante que elas tenham sua própria toalha e que ela fique separada”, diz a microbiologista.

Recentemente, em matéria do Tech Insider, o médico Philip Tierno, da Escola de Medicina da Universidade de Nova York, recomendou uma lavagem da toalha a cada três usos para conter a proliferação das bactérias. Maria Teresa lembra que nós, brasileiros, temos mais hábito de tomar banho do que os americanos, portanto, aqui estamos mais limpos a cada uso.

Pessoas imunodeprimidas ou doentes

Se alguém está doente, a situação muda de figura. Pessoas que estejam com doenças transmitidas por fezes e urina, como salmonella, shiguella e até hepatite A, precisam lavar suas toalhas a cada uso, como é feito nos hospitais, lembra Johanson.

No caso de machucados na pele, Maria Teresa recomenda que se tenha uma toalha para enxugar apenas o machucado e não levar a infecção para outros lados do corpo, principalmente para as mucosas dos órgãos genitais, que são mais sensíveis do que a pele.

Como lavar

Para Maria Teresa, o sabão e o sol são as opções mais práticas para limpar a toalha. No caso das crianças até 3 anos, ela recomenda passar. Johanson explica que as bactérias morrem a 60 graus Celsius, portanto ele recomenda que as toalhas e roupas íntimas sejam ou lavadas nesta temperatura (o que não é muito prático), secas na secadora com essa temperatura ou simplesmente, passadas com ferro a essa temperatura.

VOCÊ PRECISA VER ESTE VÍDEO !!! A verdadeira história da Mulher de Algodão. Você vai ficar surpreso ao descobrir quem inventou e propagou esta história. 

Comentários

Comentários