A emoção de compartilhar sorrisos com crianças adoentadas

0
240

Na última quarta-feira (08/10/2014) vivi um experiência incrível com as crianças no Hospital Infantil e tentei descrever em palavras tudo que vi, senti e vivi. Vale a pena se doar.

criança 1

Na terça-feira (07/10/2014) à tarde recebi uma ligação do apresentador do Balanço Geral ES. Ele apresentava o convite/desafio de irmos juntos ao Hospital Infantil vestidos de palhaços para alegrarmos a tarde das crianças que ali estavam internadas. O convite era extensivo ao meu parceiro de Comédia a la Carte, Vitor Passarim, que prontamente respondeu ao chamado.

Aceitei imediatamente o convite sem pensar duas vezes, mesmo sabendo da enorme responsabilidade que é viver o palhaço. O palhaço não é só a roupa, a maquiagem e o nariz de bola. Palhaço é o artista que se permite explorar toda a dimensão da ingenuidade e do lirismo para tocar a sensibilidade do público caminhando pelo risível de si mesmo.

Ao chegar ao Hospital e ver diversas crianças com dreno e máscaras cirúrgicas sorrindo só por ver nossa entrada no auditório comecei a ser impactado pela emoção. Dentro de mim tentava equilibrar a alegria de compartilhar sorrisos, com a vontade de chorar vendo seres tão frágeis expostos as dores e desconfortos da internação.

Durante todo o período em que ficamos lá elas brincavam, sorriam e interagiam como qualquer criança que estivesse livre das doenças e tratamentos. Doar aquelas horas do meu dia fizeram diferença para a rotina de pais e filhos que temporariamente fazem do hospital seu novo lar. No caminho de volta pensei quantas tardes eu desperdicei ao não fazer nada por mim nem pelo próximo.
P

ense nisso você também. Pense em visitar um asilo, um orfanato, um hospital. Pense em deixar água na porta de sua casa disponível para animais que vivem nas ruas. Pense em juntar suas roupas que só ocupam espaço no armário e doar para quem sente frio na esquina da tua rua. Pense em ser mais que um ser vivente. Pense em ser um ser de fato humano.

Veja neste vídeo como foi a experiência com as crianças do Hospital Infantil:

Comentários

Comentários